segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A estrada


E se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora.

Quinta da Regaleira, Sintra

excerto do poema Eros e Psique de Fernando Pessoa

quinta-feira, 20 de julho de 2017

III Escola Somos - Inspirações










III Escola Somos CML - Liceu Camões, Lisboa


Nesta terceira edição do projecto Escola Somos - Somos os Direitos que Temos, escolhi fazer a formação em Arte e Participação.

Como é que a Arte contribui para os Direitos Humanos? Será que podemos falar de DH sem falar de participação? De cidadania?
Como é que eu vejo esse meu percurso de participação? Momentos em que a arte fez com que me sentisse parte de um todo, de um colectivo, de uma comunidade.
Como é que posso fazer mais?...

Exercício de escrita e recolha autobiográfica, voltando a habitar o espaço do liceu Camões, com tantas camadas de memória...






quinta-feira, 19 de março de 2015

Não Há Impossíveis


      Trabalho de Carla Martins -Formação em Terapia através do Drama e Movimento, 2015
Texto de Carla Martins - Formação em Terapia através do Drama e Movimento, 2015




segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Formação: Terapia através do Drama e Movimento no 30 da Mouraria


Formadora: Rita Gaspar, Ma Drama & Movement Therapy (Sesame)

O método Sesame de Terapia através do Drama e do Movimento é uma forma de dramaterapia, ou seja, o uso intencional do drama com fins terapêuticos. O que o distingue de outros métodos é a forte componente de movimento, e o enfoque no não-verbal e no simbólico (psicologia Junguiana).

Destinatários: todos os que se interessem pelo drama e pelo movimento numa perspectiva de desenvolvimento pessoal, assim como profissionais e estudantes que queiram usar estes conteúdos na sua prática profissional.

Apresentação do curso Qua. 29/10 no  30 da Mouraria


Mais info: 30damouraria@gmail.com ou tlm:914462080

sábado, 18 de outubro de 2014

domingo, 2 de fevereiro de 2014

À beira do mundo


Era uma vez um poeta. Um poeta é como um pescador.
O pescador vive à beira-mar, o poeta vive à beira do mundo.

João dos Santos, Ensaios sobre Educação - II O Falar das Letras





quinta-feira, 30 de maio de 2013

O poético mover das montanhas


"Espraiou o olhar e lento, depois rápido, depois vertiginoso, na opressão ansiosa de imenso pesadelo, começou a descortinar o bailado das montanhas. (...) Não obedecendo a uma directriz precisa andavam, e seu passo era cheio, ao mesmo tempo, de angústia e de insuperável rompante. Aonde iam? Encabritadas no espaço, figurou-se-lhe que corriam ao assalto do infinito, e que de ímpeto forçavam já as paredes primeiras do céu, paredes de uma cor fosca de velha prata. Lá iam todas, imensidades dolorosas em viagem, e também a Nave, que Jirigodes com seus pés ali pisava, tinha impressa na carantonha feroz a sina de marchar. Reportando sobre ela o olhar cheio de vertigem que trazia do largo, viu-a girar, romper rumo. E lá seguia para longe ao encontro das mais, neste fadário das coisas e dos astros, correr, correr."

Aquilino Ribeiro, in Andam Faunos Pelos Bosques.





quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

De nenhum fruto queiras só metade


Recomeça
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.


Miguel Torga



Fruição

Nasser Oveisi, “Five Goblet- Dance” - Tehran Museum of Contemporary Art